História da Fundação da Capela São Mateus

(Texto de Maria Deuzanira Saraiva dos Santos)

Como conseguimos e quando foi celebrada a 1ª Missa em nosso bairro Jardim Universitário.

Raimundo Alves Alencar, sendo morador deste bairro em 1987, convidou o Pe. Mário da Igreja Nossa Senhora da Guia para celebrar uma missa, ele pediu que formasse um grupo religioso, para ter alguém que o recebesse.

Pelo motivo de não missa ter missa aqui, Libório esposa e filhos, costumavam assistir missa na catedral às 09 horas, em um dia destes, no ponto de ônibus encontraram um senhora chamada Gonçalina Maria da Silva, conversaram muito sobre as dificuldades religiosas do nosso bairro.

Essa foi a primeira vez que se encontraram, logo depois recebemos uma visita desta Senhora em nossa casa. Combinamos um encontro religioso na casa dela para combinarmos o que nos poderíamos fazer, lá estávamos presentes: José Edvaldo da Silva, Gonçalina Maria da Silva, Raimundo Alves de Alencar, Nilda Maria dos Santos Alencar, Manoel Libório Saraiva Barros, Maria Deuzanira dos Santos.

Já feita uma leitura da Bíblia, a reza do Terço e a Ladainha de Nossa Senhora, após combinamos para fazermos dois encontros por semanas em nossas casas, nas quartas e sextas.

Continuamos nas quartas a leitura da Bíblia e explicação, nas sextas reza do Terço e Ladainha de Nossa Senhora e canto, logo ficamos em sete casais: Manoel Libório Saraiva Barros e sua esposa Maria Deuzanira Saraiva dos Santos, José Edvaldo da Silva, e sua esposa Gonçalina Maria da Silva, Raimundo Alves de Alencar e sua esposa Nilda Maria dos Santos Alencar, João Batista Ribeiro de Queiroz e sua esposa Devoriz Jorge de Lima, João Pedrosa de Barros e sua esposa Maria Francisca de Barros, Manoel Fabio Moreira e sua esposa Benedita M. de Souza Moreira, Ávilo Roberto de Souza Magalhães e sua esposa Edna Rita de Almeida Magalhães.

Era um trabalho maravilhoso, fizemos a novena do Natal em Família encerramos no colégio ao lado, dentro não aceitaram.

Continuamos nossos trabalhos e encontros em casas de famílias, convidamos Pe. Mário para celebrar a missa no Domingo de Ramos, o esposo da diretora do colégio Pascoal Moreira Cabral sendo professor do colégio pedimos a ele uma sala para receber o Pe. Mário, ele disse que só com a permissão do presidente do Bairro. O presidente Gilson muito amigo de Libório fez tudo por nós. Foi uma missa muito bonita, com bastante gente.

Ficamos tendo missa no 1° domingo de cada mês, para a 2ª missa tivemos bastante dificuldades, tinha mudado de presidente de bairro, ficou a Senhora Alzira no lugar, esta não deixou nem ao lado do colégio , ainda nos disse com que ordem tiraram as carteiras de uma sala de aula, eu (Maria Deuzanira) falei com ordem do o Sr. Gilson, ela disse por isso que ele saiu, fazia as coisas sem combinar com ninguém eu (Maria Deuzanira) falei meu Deus como pode já são 2 horas e o Pe. chega às 4 horas e não tem onde celebrar a missa, ela me olhou e disse: vamos a casa do presidente ver o que vamos fazer com a tal desta missa. Sendo o presidente do Conselho Deliberativo do colégio Francisco Monteiro, este recebeu-nos muito bem mesmo sendo crente e nos autorizou a celebrar a missa fora do colégio, Alzira nos disse para não abrirmos nenhuma sala de aula e nem nos servirmos de nada do colégio.

Com o tempo nós precisamos muito de uma sala para catequese, Maria Deuzanira com mais duas senhoras foram ao colégio a pedido de Paulinho e pediram uma sala. Tiveram uma reunião na qual disseram que para dar aos católicos teriam que dar aos crentes, então dissemos que não nos importávamos, o importante é que os encontros fossem em horários diferentes, então nos arranjaram.

Este foi o verdadeiro trabalho para começar a nossa Igreja, começamos na Escola Pascoal Moreira Cabral, estivemos com Pe. Mário, Pe. Araújo, Pe. Osmar e Pe. Sandro.